Blog

AS SOFT E HARD SKILLS MAIS REQUISITADAS NOS PRÓXIMOS ANOS

  • 06 DE agosto DE 2019
  • Ricardo Missel
  • Artigos

O LinkedIn fez um levantamento utilizando seu BigData para identificar quais são as Soft Skills e Hard Skills mais requisitadas pelo mercado neste e no próximo ano.

Soft Skills são aquelas ligadas às competências comportamentais, que interferem diretamente no desempenho do profissional no ambiente corporativo e, principalmente, nas relações humanas e posições de liderança e gestão de pessoas. Esse tipo de competência tem sido muito valorizado pelo mercado, pois são elas as “responsáveis” pela maior parte das demissões nas organizações.

As Hard Skills são competências técnicas, aquelas que representam algum tipo de conhecimento específico sobre alguma área de atuação ou atividade. Normalmente, são desenvolvidas a partir de cursos extensivos, graduações ou pós-graduações. Conhecimentos em tecnologia, finanças, robótica, contabilidade, marketing, entre outros, são considerados competências técnicas.

Veja a lista das Soft e Hard Skills mais requisitados pelo mercado segundo o BigData do LinkedIn.

Soft Skills

1 – Criatividade

Esse será nosso grande diferencial em relação às máquinas. Com o avanço da tecnologia, muitas profissões estão sendo substituídas por robôs e softwares, mas a capacidade da mente humana para criatividade não tem substituto, e parece que não terá tão cedo.

2 – Persuasão

Desenvolver produtos e serviços pode ser mais fácil do que convencer as pessoas de que eles são realmente necessários. Em um cenário onde somos constantemente alvo de mídias ilimitadas e alta concorrência em todos os mercados, convencer e persuadir para que o seu negócio seja visto como diferenciado é o grande segredo.

3 – Colaboração

A complexidade estabelecida entre pessoas, processos produtivos e empresas demanda trabalho cooperativo. É necessário cada vez mais especialização, e isso demanda conhecimentos múltiplos. Trabalhar de forma colaborativa é essencial para criar diferenciação e ambientes prósperos. Devemos estar abertos as trocas positivas das relações.

4 – Adaptabilidade

A globalização e volatilidade dos mercados exigem uma mente adaptável às constantes mudanças que nos impactam diariamente. Se adaptar as mudanças e criar mecanismos para administrá-las é muito importante para manter uma boa performance no trabalho.

5 – Gestão do Tempo

Saber organizar as atividades e cronogramas, definir prioridades e focar no que é realmente importante. O tempo é o recurso mais valioso de qualquer profissional. Saber administrá-lo com eficiência é fator chave de sucesso.

Hard Skills

1 – Computação em nuvem

Em um mundo onde as informações estão armazenadas em espaços virtuais, encontrar profissionais com habilidades para gerir ambientes “cloud” e conduzir processos a partir dessa estrutura tem sido um grande desafio para as organizações.

2 – Inteligência Artificial

Já vivemos a Era da Inteligência Artificial. Entender como ela impacta sua vida e o seu trabalho é vital. Você tem dois caminhos: observar que ela pode fazer muitas coisas melhor do que você ou utilizá-la de forma estratégica para melhorar seu desempenho. Para a segunda opção (que é a mais indicada), você precisa ter um mínimo de conhecimento a respeito dela.

3 – Capacidade Analítica

Os dados estão por todo o lugar e nos dizem muito sobre o passado, o presente e o futuro. A capacidade de analisar estes dados e tomar decisões de forma estratégica é o que impulsiona o crescimento dos negócios.

4 – Gestão de Pessoas

Mudamos do formato de “comando e controle” para o “empoderamento”. É necessário fazer a gestão das pessoas a partir do conceito de que elas são o principal ativo do seu negócio para alta performance. O desempenho das pessoas está diretamente relacionado a capacidade dos líderes e gestores em empoderá-las para que elas criem as melhores soluções.

5 – Design de Experiências

Ter a experiência é maior do que ter a propriedade. Por isso, entender como o cliente interage com o produto/serviço e perceber nessa interação a real necessidade/demanda pelo produto é o que conduz o ajuste fino para a excelência. A ciência por trás disso é o Design de Experiência, que busca o alinhamento perfeito entre o ser humano e a solução.